O que acontece no cérebro quando estamos apaixonados?

O sentimento de paixão sempre foi um mistério pelas sensações que experimentamos ao estar perto ou pensando na pessoa amada. Na verdade, existe uma explicação científica bem clara para tais sentimentos aflorarem.⠀

Antropologicamente, sobrevivemos e prosperamos também passando o nosso código genético adiante; E a paixão ajuda nisso e, todas as vezes que lembramos, imaginamos e pensamos na pessoa amada, mais #dopamina, hormônio responsável pela euforia, é liberada.⠀

Em outras palavras, quando encontramos essa pessoa, nosso cérebro libera uma explosão de hormônios que traz o sentimento de felicidade, satisfação e prazer. Tais sensações podem ser comparadas ao efeito de uma droga. E não para por aí.⠀

A paixão pode durar, no máximo, dez semanas, ou seja, dois ciclos biológicos e meio. Isso ocorre biologicamente para proporcionar uma melhor chance de reprodução e eternizamos o nosso código genético, sobretudo porque o nosso corpo não aguentaria turbilhões hormonais produzidos por muito tempo.⠀
Porém, depois da fase da paixão a relação muda de forma.⠀

E, quando estamos em um relacionamento estável, o cérebro para de produzir tais hormônios, porém estes são substituídos por uma molécula chamada CRF, que é liberada sempre que os casais estão longe um do outro.⠀

Isso explica a desagradável sensação de separação e a falta que sentem um do outro, mais conhecida como saudade.

GyMBrain⠀⠀
Expansão da Performance Neural⠀

A GyMBrain possui um processo próprio para direcionar o seu diagnóstico e tratamento de transtornos mentais com maior precisão utilizando as mais refinadas técnicas e tecnologias com comprovação científica. Entre em contato e saiba como podemos ajudar.

▶▶▶ WhatsApp: +55 (21) 9 6773 7193⠀⠀

???? www.gymbrain.com.br⠀⠀
⠀⠀
#gymbrain #saudemental #terapiaonline #terapia #psiquiatra #transtornomental #distúrbiosneurológicos #distúrbiocognitivo #saudeemocional #depressao #ansiedade #toc #transtornobipolar #sindromedopanico #alzheimer #insonia #sindromedeburnout #esquizofrenia #porumaculturadasaudemental #TDAH